Coluna por Airton Feitosa

Leilão de energia solar movimenta cenário

  - É engenheiro eletricista. Atua nas áreas de Gerência Administrativa, Geração, Transmissão, Manutenção e Operação de Sistema Eletroenergético.  Foi gerente de Operação Regional da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco – Chesf.

É engenheiro eletricista. Atua nas áreas de Gerência Administrativa, Geração, Transmissão, Manutenção e Operação de Sistema Eletroenergético. Foi gerente de Operação Regional da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco – Chesf.

Por Airton Feitosa

Desde 2008, o modelo do setor elétrico brasileiro conta com energia de reserva destinada a elevar a segurança no fornecimento no Sistema Interligado Nacional (SIN). A energia de reserva é oriunda de usinas especialmente contratadas para este fim, de forma a complementar o montante contratado no ambiente regulado (ACR).

Ademais, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), através da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), realizou dia 28/08/2015, o 7º Leilão de Energia de Reserva (LER), o qual teve início às 10 horas desta sexta-feira, com o objetivo de contratar energia a ser gerada por novos projetos solares. Foram habilitados para o certame cerca de 341 empreendimentos fotovoltaicos, com capacidade total de 11.261 MWp.

O preço teto estabelecido pela Aneel foi de R$ 349/MWh e, por isso, a expectativa era de um leilão bastante disputado. No ano passado, para um certame semelhante, a Aneel estabeleceu o preço limite de R$ 262,00/MWh. O leilão naquela oportunidade durou oito horas e resultou na contratação de energia a ser gerada por 31 novos empreendimentos. O preço médio ficou em R$ 215,12/MWh, com deságio de 18% sobre o valor inicial estabelecido pela Agência Reguladora.

Contudo, o leilão de ontem estimava contratar Parques Solares em dez Estados. O principal destaque foi a Bahia, com um total de 125 projetos com potência total de 3.998 MW. Em seguida o Piauí, 61 projetos com potência total de 2.077 MW, o Rio Grande do Norte, 37 projetos com potência total de 1.293 MW, Pernambuco, 31 projetos com potência total de 1.064 MW e São Paulo, 30 projetos com potência total de 1.109 MW.

O preço médio da energia negociada ficou em R$ 301,79/MWh, o que ocasionou um deságio médio de 13,53% em relação ao preço-teto previamente estabelecido pela Aneel, representando uma economia de R$ 1,915 bilhão para os consumidores de energia. A disputa durou mais de sete horas, alcançando 87 rodadas de negociação. Os 30 projetos de geração de energia elétrica a partir da fonte solar fotovoltaica que venderam energia neste Leilão exclusivo para projetos fotovoltaicos estão localizados nos estados da Bahia (12), Piauí (9), Minas Gerais (5), Paraíba (3) e Tocantins (1) e possuem uma Potência Total de 1.043 MWp.

Portanto, da potência total negociada, o estado da Bahia concentrou a maior parte dos projetos com 406 MWp. Os demais, estão distribuídos nos estados do Piauí com 353 MWp, que será instalado no município de Ribeira do Piauí, Minas Gerais com 184 MWp, Paraíba com 94 MWp e Tocantins com 6 MWp, somando investimentos de R$ 4,3 bilhões. O total de investimentos é de R$ 4.341.375.310,00. No Piauí serão investidos cerca de R$ 1.709.879.160,00.

 

ÚLTIMAS POSTAGENS EM Airton Feitosa

COPYRIGHT © 2015 TUDOECONOMICO.COM | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS